_1010706.jpg

SOBRE

Pertencente à nova geração de jovens músicos emergentes em Portugal, David Silva tem vindo a solidificar rapidamente a sua carreira enquanto flautista no panorama nacional. Desde recitais a solo, passando pela música de câmara ou enquanto músico orquestral, a sua carreira abrange um repertório que compreende mais de quatro séculos de música, começando no período barroco e chegando até aos dias de hoje.

No campo orquestral, foi membro da Gustav Mahler Jugend Orchester entre 2018 e 2020, tendo trabalhado com vários maestros de relevo, tais como: Christian Thielemann, Herbert Blomstedt, Vladimir Jurowski ou Jonathan Nott. Destacam-se ainda outras colaborações frequentes com: Orquestra Gulbenkian, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Staatskapelle Dresden, Orchestre de la Suisse Romande, Musikkollegium Winterthur Orchester, entre outras.

Enquanto músico a solo e em música de câmara, David Silva é responsável pela criação e desenvolvimento de vários projetos que o levaram a apresentar-se em salas como: Centro de Arte Moderna - FCG, Museu do Oriente, Palácio Foz, Palácio da Fronteira, Biblioteca Nacional de Portugal, Palácio de Queluz, Palácio dos Aciprestes e Palácio Belmonte.

 

Além da sua carreira enquanto performer, complementa a sua vocação na qualidade de consultor externo para as Artes no Serviço de Bolsas da Fundação Calouste Gulbenkian e colabora com a plataforma de gestão cultural e agenciamento artístico Artway - Culture & Arts.  

Começou os seus estudos musicais aos seis anos na Academia de Música do Monte Abraão, tendo ingressado na Escola de Música do Conservatório Nacional aos doze, na classe do Professor João Pereira Coutinho. Posteriormente foi aceite na Escola Superior de Música de Lisboa, onde concluiu a sua licenciatura com o Professor Nuno Ivo Cruz. Por dois anos consecutivos recebeu uma bolsa de mérito académico atribuída pelo Instituto Politécnico de Lisboa.

Concluiu a sua educação académica em algumas das instituições de maior renome a nível europeu: Koninklijk Conservatorium Brussel (Mestrado em Música - Flauta Transversal) e Haute École de Musique de Genève (Mestrado em Interpretação Musical - variante concerto). Entre os seus principais orientadores, salientam-se os professores Carlos Bruneel e Michel Bellavance (Flauta), Jerica Pavli e Katlijn Sergeant (Piccolo) e Serge Saitta e Anna Besson (Traverso). Durante o seu percurso académico foi distinguido com vários prémios nacionais e internacionais, distinguindo-se mais recentemente o 3º prémio no Dutch International Flute Competition 2021, o 4º prémio no Tampere Flute Fest - Young Artists Competition 2022 e o 2º prémio no Clara Wieck Schumann Competition 2022 (Música de Câmara). Os seus estudos foram apoiados pela Fundação Calouste Gulbenkian através de uma bolsa de mérito artístico.